21 de abr de 2013

hipo e hipersegmentação


Como trabalhar hipo e hipersegmentação


Objetivos
• Transcrever o texto realizando a separação convencional entre as palavras.
• Utilizar o conhecimento construído sobre o sistema de escrita e a familiaridade com o texto a ser transcrito para refletir sobre a separação entre as palavras.
• Socializar com o grupo quantas palavras encontrou no texto e confrontar com as respostas dos colegas.

Conteúdo 
Segmentação de texto em palavras

Anos 
1º e 2º

Tempo Estimado 
Uma aula, que pode ser repetida em outros dias com outros textos conhecidos pela turma.

Material necessário 
Textos poéticos (parlendas, poemas, quadrinhas e canções) conhecidos das crianças. 

Desenvolvimento 
1ª etapa
Selecione parlendas, poemas, quadrinhas e canções conhecidos pelos alunos. O ideal é escolher um que eles tenham memorizado. Distribua uma cópia desse texto para cada estudante e apresente a seguinte consigna: "Temos conversado sobre a importância de separar as palavras quando escrevemos. Neste texto, a parlenda foi escrita sem levar isso em consideração. Transcreva-a fazendo a separação que considerar necessária." A proposta é que as crianças transcrevam o texto individualmente.



Exemplo:
UMHOMEMBATEUEMMINHAPORTAEEUABRI
SENHORASESENHORESPONHAMAMÃONOCHÃO
SENHORASESENHORESPULEMDEUMPÉSÓ
SENHORASESENHORESDEEMUMARODADINHA
EVÃOPROOLHODARUA

2ª etapa
Quando os alunos terminarem a transcrição, peça que contem quantas palavras há no texto e socialize os resultados. Os que tiverem resultados diferentes devem se dirigir ao quadro e escrever alguns versos. É possível pedir que um deles escreva o primeiro verso e perguntar se todos concordam ou se alguém escreveu de forma diferente. Caso alguém tenha escrito separando ou juntando as palavras de outro jeito, pergunte como fez e, em seguida, discuta com o grupo qual forma todos consideram a correta. O objetivo nesse momento é discutir como as crianças separaram as palavras e propor que justifiquem suas escolhas. Convide as que costumam hipersegmentar (separar o que deve ser escrito junto, por exemplo, a bri, ba teu) ou hipossegmentar (escrever junto o que é separado, como amão, nochão) para redigir os outros versos no quadro. Geralmente há bons problemas a resolver quando uma criança que costuma juntar demais precisa justificar sua escrita para um colega que costuma separar demais.


3ª etapa
Depois que todos os versos estiverem escritos no quadro, confira com os alunos quantas palavras há no texto. Peça que quem tiver um resultado diferente realize a correção em sua cópia. 

4ª etapa
Variações de atividades para discutir a separação convencional entre as palavras:
• Transcrições com outros textos poéticos memorizados pelas crianças.
• Escrita de textos poéticos memorizados sem vê-los e discussão, na sequência, sobre a quantidade de palavras que cada estudante encontrou, seguida da socialização das escritas.
• Análise coletiva de um texto com vários problemas de separação entre as palavras.

Ajude a turma a agrupar os problemas semelhantes e refletir sobre a natureza deles, discutindo o que costuma gerar dúvidas, como omarido e emfrente. Cuidado para não expor nenhum aluno dizendo, por exemplo, que ele cometeu muitos erros. Diga: "Neste texto, algumas palavras foram escritas sem a separação adequada. Vamos ajudar o aluno que o escreveu a revisá-lo?" A ideia é que todos analisem os problemas em relação à separação entre as palavras.

A revisão faz mais sentido para as crianças quando elas escrevem com uma intenção comunicativa clara, ou seja, quando sabem quem é o destinatário, para quem estão escrevendo, para que e onde será publicado. O contexto da produção é fundamental para que o esforço dedicado à atividade seja potencializado.

Avaliação 
Registre suas observações sobre a participação dos alunos. Quais foram os que escreveram usando a separação convencional entre as palavras? Quais escreveram hipossegmentando e hipersegmentando? Eventualmente, alguém escreveu continuamente sem realizar nenhuma separação entre as palavras? Anote também como justificaram as escritas e quais foram assu intervenções mais importantes para que refletissem sobre a separação entre as palavras. Essas observações são fundamentais para o planejamento das atividades futuras.



Vaca Amarela - Atividades


























Retirado do blog:http://anaaliceflopes.blogspot.com.br/2013/07/atividades-sequenciadas-vaca-amarela.html

Dia da Mães - Seu Anjo


Seu Anjo
Uma criança pronta para nascer pergunta a Deus:
"Como eu vou viver sendo assim pequeno e indefeso?
"Deus disse: "Eu escolhi um anjo para você. Estará lhe esperando e tomará conta de você."
Criança: "Aqui no Céu eu não faço nada a não ser cantar e sorrir, o que é suficiente para que eu seja feliz. Serei feliz lá?"
Deus: "Seu anjo cantará e sorrirá para você... A cada dia, a cada instante, você sentirá o amor do seu anjo e será feliz."
Criança: "Como poderei entender quando falarem comigo, se eu não conheço a língua que as pessoas falam?"
Deus: "Com muita paciência e carinho, seu anjo lhe ensinará a falar."
Criança: "E o que farei quando eu quiser lhe falar?"
Deus: "Seu anjo juntará suas mãos e lhe ensinará a rezar."
Criança: "Eu ouvi que na Terra há homens maus. Quem me protegerá?"
Deus: "Seu anjo lhe defenderá mesmo que signifique arriscar sua própria vida."
Nesse momento é chegada a hora do nascimento.A criança, apressada, pediu suavemente:
"Deus, eu estou no ponto de ir agora, diga-me por favor, o nome do meu anjo."
E Deus respondeu:
"Você a chamará de MÃE".

autoria desconhecida

1 de mar de 2013

Como realizar a sondagem inicial com os alunos


Como fazer a sondagem inicial


Professor: Eduardo Araujo 

O que ele fez: Um ditado de palavras do mesmo campo semântico, começando por uma polissílaba, seguida de uma trissílaba, uma dissílaba, uma monossílaba e por último, uma frase em que uma das palavras se repetia. Em seguida, Eduardo selecionou as produções que demandavam uma maior investigação. Para isso, aprofundou o diagnóstico dos autores dessas escritas por meio de uma sondagem individual, enquanto o resto da turma fazia uma atividade diversificada. 


O que ela trabalhou: O diagnóstico inicial das hipóteses de escrita dos alunos com ditado de palavras com número de sílabas diferentes. 

Assista ao vídeo: 




http://revistaescola.abril.com.br/fundamental-1/escrita-pelo-aluno-alfabetizacao-inicial-641238.shtml?page=8.1

Plano de aula


Como ensinar




Você sabe quando usar planos, atividades, sequências ou projetos? 
Para preservar o sentido do conteúdo, evitar sua fragmentação e distribuir os temas em função do tempo de aprendizagem, o ensino pode ser organizado de acordo com as chamadas modalidades organizativas. Abaixo, você confere um resumo sobre cada uma das modalidades: 

Plano de aula Forma de organizar a aula com foco numa atividade específica (leitura exploratória de um texto, resolução de um tipo de um tipo de problema matemático etc.). Como dura apenas uma aula, costuma ser usado para apresentar um conteúdo ou explorar um detalhe dele. 

Atenção Não se esqueça de incluir uma atividade diagnóstica inicial (para verificar os alunos sabem sobre o assunto) e uma avaliação final (para indicar o que aprenderam). 

Atividade permanente Também chamada de atividade habitual, é realizada regularmente (todo dia, uma vez por semana ou a cada 15 dias). Ela serve para construir hábitos e familiarizar os alunos com determinados conteúdos. Por exemplo: a escrita de parlendas e de listas, semanalmente, faz com que os alunos reflitam sobre o sistema alfabético e, aos poucos, compreendam a relação entre o que se escreve e o que se lê. 

Atenção Ao planejar esse tipo de tarefa, é essencial saber o que se quer alcançar, que materiais usar e quanto tempo tudo vai durar. Vale sempre contar para as crianças que a atividade em questão será recorrente. Com o tempo, os alunos passam a prever a atividade que será proposta, de tão habituados. 

Sequência didática Conjunto de propostas com ordem crescente de dificuldade. O objetivo é focar conteúdos particulares (por exemplo, a regularidade ortográfica) numa ordenação com começo, meio e fim. Em sua organização, é preciso prever esse tempo e como distribuir as sequências em meio às atividades permanentes e aos projetos. 

Atenção É comum confundir essa modalidade com o trabalho do dia a dia. A questão é: há continuidade? Se a resposta for não, você está usando uma coleção de atividades com a cara de sequência. 

Projeto didático Reunião de atividades que se articulam para a elaboração de um produto final forte, em que podem ser observados os processos de aprendizagem e os conteúdos aprendidos pelos alunos. Costuma partir de um desafio ou situação-problema. Trabalhados com uma frequência diária ou semanal, podem estender-se por períodos relativamente prolongados (um ou dois meses, por exemplo), tornando os alunos especialistas num determinado tema. 

Atenção O erro mais comum é um certo descaso pelo processo de aprendizagem, com um excessivo cuidado em relação à chamada culminância (a elaboração do produto final).


http://revistaescola.abril.com.br/fundamental-1/escrita-pelo-aluno-alfabetizacao-inicial-641238.shtml?page=5.1

30 de jan de 2013

Atividades com nomes








Completar os nomes utilizando as letras móveis

Dinâmica - Procurando um coração


Procurando um coração...
Material Necessário: Corações de cartolina cortados em duas partes de forma que uma delas se encaixe na outra. Cada coração só poderá encaixar em uma única metade.

Desenvolvimento: Distribuir os corações já divididos de forma aleatória. Informar que ao ouvirem uma música caminharão pela sala em busca de seu par. Quando todos encontrarem seus pares, o educador irá parar a música e orientar para que os participantes conversem.

Dinâmica - O lago de leite


O LAGO DE LEITE

Objetivo: Despertar no aluno o prazer do trabalho em conjunto e a importância da ação individual na contribuição com o todo.

(O professor poderá falar um pouco sobre o trabalho na série, para que as crianças entendam a importância do envolvimento de todos para a realização do mesmo.)

Em um certo lugar no Oriente, um rei resolveu criar um lago diferente para as pessoas do seu povoado.Ele quis criar um lago de leite, então pediu para que cada um dos residentes do local levassem apenas 1copo de leite; com a cooperação de todos, o lago seria preenchido. O rei muito entusiasmado esperou até a manhã seguinte para ver o seu lago de leite. Mas, tal foi sua surpresa no outro dia, quando viu o lago cheio de água e não de leite. Em seguida, o rei consultou o seu conselheiro que o informou que as pessoas do povoado tiveram o mesmo pensamento: "No meio de tantos copos de leite se só o meu for de água ninguém vai notar...

"Questionar com as crianças: Que valor faltou para que a ideia do rei se completasse?Após a discussão, seria interessante que os alunos construíssem algo juntos, como por exemplo: o painel da sala. A sala pode ser decorada com um recorte que, depois de picotado, forma várias pessoas de mãos dadas, como uma corrente.

Dinâmica - Sorriso milionário


Sorriso milionário


Objetivo: propiciar a descontração e integração o grupo de alunos de uma forma divertida.

Materiais: Pequenas bolinhas de papel amassado (5 para cada aluno da classe).

Procedimento: Essa dinâmica é usada para descontrair e integrar o grupo de uma forma divertida.

Cada bolinha vale R$ 1.000,00.


O professor distribuirá para cada pessoa do grupo 5 bolinhas de papel, essas deverão estar dispersas no local onde será realizada a brincadeira.
Dado o sinal os alunos deverão sair e procurar um companheiro, em seguida devem parar em sua frente, olhar fixamente nos olhos desse companheiro que por sua vez não pode sorrir.
Quem sorrir primeiro paga uma bolinha para a pessoa a quem sorriu.
Vence quem terminar a brincadeira com mais "dinheiro", que será o milionário.

Tempo de aplicação: 30 minutos
Número máximo de pessoas: 40
Número mínimo de pessoas: 2


Dinâmica - Conhecendo e aprendendo


Objetivo: promover a integração entre os alunos e professor, fortalece a comunicação e o relacionamento interpessoal dos estudantes.

Materiais: Um objeto pequeno, podendo ser uma bola por exemplo.

Procedimento: Formar um círculo.

Explicar aos alunos que será dada uma oportunidade para que aprendam mais uns dos outros.
Quem estiver com a bola deve passá-la á outra pessoa que deverá 'dizer seu nome e revelar algo diferente sobre si (uso lente de contato, por exemplo, ou tenho um cachorro).
Quando todos tiverem falado, explicar que na segunda rodada eles terão que passar a bola a alguém e dizer o nome da pessoa e o que ela disse na rodada anterior.
Dicas: Observar quais alunos estão prestando atenção e conseguem lembrar das informações que seu colega falou. Caso algum tenha dificuldade, pedir que os outros alunos o ajude.
Apontar a importância de saber ouvir, que muitas vezes estamos muito preocupados com o que vamos dizer, que esquecemos de prestar atenção no que nos é dito.

Tempo de aplicação: 15 minutos
Número máximo de pessoas: 20
Número mínimo de pessoas: 4

Dinâmica - O jogo das saudações



OBJETIVO: Facilitar o entrosamento, despertar a cordialidade e espontaneidade;

Atividade inicial para promover aproximação entre os colegas, ou entre eles e crianças novas, no primeiro dia do ano em que se encontram.


Como Jogar:

- Peça que todos se levantem e caminhem pelo espaço.
- Avise que você vai dar um sinal (palma ou apito) e, quando o ouvir, cada um deverá parar diante de um colega, trocar um olhar e acenar com um “tchauzinho”.
-Quem não conseguir um par para fazer isto irá sentar-se no chão.
- A brincadeira recomeça.
- Todos voltam a caminhar pelo espaço, pois ninguém fica de fora, neste jogo.
- Agora, regra é outra: ao ouvir o sinal, todos vão parar diante de duas pessoas (nenhuma pode ser a mesma de antes), trocar um olhar e perguntar os seus nomes.
- Quem não conseguir, vai sentar-se no chão.
- Agora, vamos parar e segurar a mão de três pessoas, que não sejam as mesmas das etapas anteriores.
- Em seguida, vamos dar um forte abraço em quatro pessoas...
- Para terminar, todos vão cumprimentar quem ainda não cumprimentaram e voltar aos seus lugares.

Dinâmicas


Abraços Musicais Cooperativos 


Definição: Trata-se de saltar no ritmo da música, abraçando-se a um número progressivamente maior de companheiros até chegar a um grande abraço final. 
Objetivos: Favorecer o sentimento de grupo desde a chegada positiva de todos.
Material: Um aparelho de música ou um instrumento musical.
Ordem de partida: Ninguém deve ficar sem ser abraçado.

Desenvolvimento:
1. Uma música soa, os participantes começam a dançar; quando a música para, cada pessoa abraça a outra. A música continua, os participantes começam a dançar, se querem, podem dançar com o companheiro. Na seguinte vez que a música parar, se abraçam três pessoas. O abraço vai ficando cada vez maior até chegar a um grande abraço final.
Avaliação: O jogo tenta romper o possível ambiente de tensão que pode haver no princípio de uma sessão ou um primeiro encontro. Cada participante expressará como se sente e como viveu o jogo. 

Fonte: ABEC

Dinâmica para o início das aulas


PINTINHOS 
  
Faixa etária: de Ensino Infantil, fundamental e secundário 

(propicia desinibição, porque exige contato físico e confiança no grupo) 

O grupo deve situar-se em círculo e fechar os olhos ( se quiser, a professora pode providenciar vendas para os alunos, para facilitar, principalmente se os alunos forem pequenos ou imaturos), Não poderão abrí-los até que termine o jogo. 
A partir desse momento, todos os jogadores são pintinhos recém saídos do ovo e não podem ver , buscando a sua mamãe galinha. 
O professor fará saber a um deles que é a galinha, de forma que os demais não se inteirem disso.
Todos os pintinhos devem caminhar às cegas, imitando o andar dos pintinhos até tocar outro pintinho. 
Quando os jogadores se encontrarem devem piar para comprovar se encontraram com a galinha. 
Os pintinhos devem responder. 
A galinha se diferencia porque não pia. Portanto, quando alguém não lhes responder, deve abraçar com força a galinha e seguir andando unidos, e a partir desse momento permanecem calados. No final, todos os pintinhos podem abrir os olhos: como é de se esperar terminam abraçados e em silêncio.

Fonte: ABEC

16 de jan de 2013

Atividades fundamentais - alfabetização



ATIVIDADES QUE SÃO FUNDAMENTAIS NO TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO:


Escrita e leitura de listas (palavras do mesmo campo semântico. Exemplo: Tem na festa de aniversário (para oferecer pistas aos alunos de forma que façam antecipações de leitura por exemplo)

Leitura de ajuste de textos de memória (que são cantigas, parlendas, trava línguas, quadrinhas). Cante com eles várias vezes até que note que decoraram o texto.
Você lê apontando com o dedo na lousa, eles acompanham na cópia que eles tem.
Em seguida vc fala a palavra e eles precisam encontrar na cópia do texto que tem em mãos.

Reescrita de textos de memória
Depois de memórizado
Você pode trabalhar essa atividade com as duplas produtivas.

Reescrita de contos, ou reconto: Pedir, de início, que escrevam a parte que mais gostaram, que escrevam a cantiga que aparece no conto, que escrevam o início ou o final...

Ao trabalhar com contos procure relacionar junto com eles as várias formas usadas para iniciar um conto, para finalizar os mesmos, liste personagens, liste cenários, heróis, vilões... Isso será fundamental que quando produzirem textos de autoria e mesmo para a reescrita.

Esse traballho pode ser feito de diferentes formas: no coletivo (eles vão ditando e vc é o escriba, discuta com eles a melhor forma de escrever para deixar o texto mais bonito), em duplas produtivas ou individualmente. Depende de seu objetivo e do nível de conhecimento as cças.

Cruzadinhas e caça palavras (sempre no mesmo campo semântico, com ou sem banco de palavras de acordo com o nível de escrita de cada aluno) em dupla ou individualmente.

Leitura e interpretação com autonomia Para alunos em nível silábico alfabético e alfabético


Sugestão de atividades 1º ano


Atividades permanentes
 
1-trabalho com o alfabeto

Todos os dias cantar a parlenda suco gelado:

SUCO GELADO
CABELO ARREPIADO
QUAL É A LETRA DO SEU NAMORADO
A-B-C-D-E...... sempre apontar as letras no alfabeto que deve ser fixado acima do quadro negro.
Primeiro ir na sequência e depois saltando. Cada dia um aluno vai apontar as letras no alfabeto para a sala ir falando.
Fazer esse tipo de atividade até que todos sejam capazes de reconhecer e nomear todas as letras e saber a sequência alfabética.

2-Trabalho com o calendário

Trabalhar o dia do mês
o ano
o mês
que dia ou mês vem antes ou depois de...
trabalhar o clima desenhando abaixo de cada quadrinho com o dia do mês, como está o tempo e no final do mês fazer tabelas e gráficos: quantos dias chuvosos, nublados, ensolarados
Trabalhar primeiro dia da semana, os nomes dos dias ( fazer um cartaz com um nome abaixo do outro na ordem, e fixar na parede, fazer também um de números com as escritas por extenso dos mesmos e um com os meses do ano - Esse material é necessário, eles usam como suporte para a escrita autônoma).

3_ Leitura pelo professor

Ler no início da aula, um livro, uma receita, um poema, uma música, ou seja, use variedade textual, vários géneros e autores. Use estratégias diferentes para prender a atenção dos mesmos (mude o tom de voz para cada personagem, faça mistério, deixe para ler o final depois, pergunte o que acham que vai acontecer depois de certa parte do livro (instigue de forma que leiam as entrelinhas, o implícito e o explicito). Faça também leitura por capítulos.

4 Leitura compartilhada

Fazer duas vezes por semana. Os alunos acompanham a leitura na cópia que recebem. Trabalhar com textos de memória, cantigas, trava línguas...... Depois da leitura colam no caderno de texto ou outro.
Você também pode aproveitar o texto para fazer a leitura de ajuste onde pede para encontrarem e grifarem as palavras que vc pedir.

5- Roda da conversa

Uma vez por semana, com as cças dispostas em círculos, discutir fatos ocorridos na escola, no bairro, no mundo. Falamos sobre sentimentos, sobre assuntos ligados à ciência, consumo, ética, convivência, fatos históricos...

6-Roda literária

Todo final de semana as cças levam gibis, livros ou revistas para leitura e para compartilhar o prazer da mesma com os familiares.
Então, na segunda feira , fazer a roda literária onde os alunos fazem indicações do que leram. Leiam esse livro porque... Eu indico esse livro porque... Ou não indico essa leitura porque.... Eles fazem um breve resumo da obra (oralmente)

7- Fazendo a contagem de aluno

Contamos as crianças que estão na sala e fazemos a conta, no canto da lousa, para descobrirmos quantos alunos faltaram.

Como realizar uma sondagem


SONDAGEM DE NÍVEL DE ESCRITA

As investigações sobre a psicogênese da língua escrita permitem ao professor atuar como mediador no processo ensino-aprendizagem e fornecer pistas para o aprendiz tornar-se alfabético. Nesse processo, a sondagem diagnóstica capacita o educador a conhecer as hipóteses das crianças envolvidas.
Para realizar uma sondagem escolhe-se quatro palavras (uma polissílaba, uma trissílaba, uma dissílaba e uma monossílaba, nesta ordem) e uma frase de um mesmo campo semântico. Uma das palavras ditadas anteriormente deve aparecer nesta frase.

Exemplo: lista de animais
DINOSSAURO
JACARÉ
GATO
BOI
O GATO DORMIU NA SALA.

Pede-se então, para que a criança (atividade individual) escreva do jeito que souber. É importante pedir para que ela leia, apontando as letras e os sinais correspondentes à fala.
A partir do material investigado em uma sondagem, pode-se refletir sobre o pensamento da criança e perceber sua hipótese linguística.

Como a sondagem deve ser utilizada:
* instrumento para analisar as hipóteses da criança a partir de atividades significativas, colocando a criança diretamente em contato com o desafio de escrever.
* subsídio para o professor;
* instrumentalizador do processo;
* conhecer o que a criança pensa de forma geral sobre a escrita, qual a lógica que utiliza naquele momento para escrever;
* analisar as hipóteses das crianças a partir de uma proposta significativa, que faz parte de uma sequência de atividade, ela sabe por que e para que está escrevendo,tendo uma função social;
* colecionar produções das crianças:com esse material é possível fazer um acompanhamento periódico da aprendizagem da criança e formular indicadores que permitam ter uma visão da evolução da hipótese de escrita da criança ao longo do processo.

Objetivos da sondagem:
*instrumento para mapear o conhecimento das crianças sobre a escrita;
* reorientar sua prática pedagógica;
*material de pesquisa para definir as possíveis intervenções;
* elaborar seu planejamento, propondo situações capazes de gerar novos avanços na aprendizagem das crianças;
*obter dados sobre o processo de aprendizagem de cada criança.


Sugestões de campos semânticos 


   1. VENTILADOR 
   2. CORTINA 
   3. MESA
   4. GIZ 
   5. MINHA PROFESSORA USA GIZ NA LOUSA.

   1. APONTADOR
   2. CANETA (CADERNO)
   3. LÁPIS
   4. GIZ
   5. QUEBROU A PONTA DO MEU LÁPIS.


   1. SUBMARINO
   2. CAMINHÃO
   3. CARRO
   4. TREM
   5. O ÔNIBUS LEVA MUITA GENTE.


   1. RINOCERONTE
   2. CAMELO
   3. PERU
   4. RÃ
   5. O CAMELO VIVE NO DESERTO.


   1. JOANINHA
   2. OVELHA
   3. LEÃO
   4. BOI
   5. O LEÃO É O REI DAS SELVAS.

   1. BRINCADEIRA
   2. ALEGRIA
   3. SAÚDE
   4. PAZ
   5. A MELHOR COISA NA VIDA É TER SAÚDE


   1. TORRADINHA
   2. MANTEIGA
   3. CAFÉ (LEITE)
   4. PÃO (MEL)
   5. AQUELA MENINA GOSTA DE PÃO COM MANTEIGA.


   1. ESTÔMAGO
   2. CABEÇA
   3. PERNA
   4. PÉ
   5. EM CABEÇA LIMPA NÃO TEM PIOLHO.


   1. COMPUTADOR
   2. REVISTA
   3. RÁDIO
   4. FAX
   5. NO RÁDIO TOCA MÚSICAS BONITAS.


   1. NATUREZA
   2. PLANETA
   3. TERRA
   4. FLOR
   5. O NOSSO PLANETA É MUITO BONITO.


   1. PRIMAVERA
   2. ANIMAIS
   3. JARDIM
   4. AR

   5.OS ANIMAIS PRECISAM DE CARINHO.

   1. ESCOLINHA
   2. BOLICHE
   3. CORDA
   4. PÁ
   5. EU GOSTO DE PULAR CORDA.


   1. BRINCADEIRAS
   2. DESCANSO
   3. LIÇÃO
   4. SOL
   5. O DESCANSO DAS FÉRIAS É MUITO BOM.


   1. PIPOQUEIRO
   2. QUADRILHA
   3. BALÃO
   4. SOM
   5. O PIPOQUEIRO VENDE MUITA PIPOCA.


   1. REFEITÓRIO
   2. ESCOLA
   3. PÁTIO
   4. CHÃO
   5. A ESCOLA É UM LUGAR BEM LEGAL.



Obs: Não me lembro de onde retirei este material

7 de jan de 2013

Volta às aulas



Dois círculos
Dinâmicas Quebra-Gelo (descontração, conhecimento mútuo, integração)

Objetivo: motivar um conhecimento inicial, para que as pessoas aprendam ao menos o nome umas das outras antes de se iniciar uma atividade em comum.
Para quantas pessoas: é importante que seja um número par de pessoas. Se não for o caso, o coordenador da dinâmica pode requisitar um “auxiliar”.
Material necessário: uma música animada, tocada ao violão ou com gravador.
Descrição da dinâmica: formam-se dois círculos, um dentro do outro, ambos com o mesmo número de pessoas. Quando começar a tocar a música, cada círculo gira para um lado. Quando a música pára de tocar, as pessoas devem se apresentar para quem parar à sua frente, dizendo o nome e alguma outra informação que o coordenador da dinâmica achar interessante para o momento.
Repete-se até que todos tenham se apresentado. A certa altura pode-se, também, misturar as pessoas dos dois círculos para que mais pessoas possam se conhecer.
 
Margarida Serrão e Maria Clarice Baleeiro

http://www.mundojovem.com.br/