31 de mai de 2011

O Rodízio - Elias José (atividades)

Hoje trago essa sequência de atividades. Fiz apenas umas alterações no formato.  Não me lembro de onde retirei. Se alguém souber, me avise, ok?

Poema: O RODÍZIO
               Elias José

Providenciar as cópias do poema:
  • em papel craft para expor na sala;
  • digitado para colar no caderno do aluno (com letra bastão maiúscula);
  • digitado em tirinhas, para leitura e ordenação.

Ativar o conhecimento prévio, através de questionamentos sobre:
  • o tipo de texto;
  • quem é o autor;
  • se o aluno conhece outros textos do mesmo tipo que esse;
  • se conhece outros textos de Elias José;
  • o que o título do poema sugere;
  • porque o poema tem esse nome;
  •  pesquisar no dicionário a palavra RODÍZIO.

Explorar o texto:
  •  leitura do texto pelo professor – para isso o professor deve ler antes o poema para que possa fazer uma leitura expressiva e prazerosa;
  • leitura com os alunos, ou seja, professor e alunos;
  •  chamar a atenção para a estrutura do texto: versos, estrofes, espaços.
  •  perceber as rimas, sonoridade do poema;
  • pedir para que em grupos leiam o poema fazendo gestos ou através de dramatização;
  • leitura em forma de jogral;
  •  leitura dos nomes dos animais presentes no poema, nomear as letras que compõem os nomes, quantas letras têm cada nome, que nomes têm mais letras, comparar as partes de um nome com outros, relacionar a letra inicial com outros nomes (pode ser dos alunos da sala).
  • brincar de rimar outras palavras a partir das rimas do poema;
  • pedir que os alunos montem com o alfabeto móvel algumas palavras;
  • com as mesmas letras montar outros nomes;
  • copiar e ilustrar a estrofe do poema que mais gostou.




























JOGO DE LEITURA



Organizar a sala em um grupo de alfabetizados e outro de não alfabetizados. Providenciar duas caixinhas. Em uma colocar as frases para leitura das crianças alfabetizadas e em outra colocar nomes de animais para serem lidos pelas crianças não alfabetizadas. As caixinhas devem ir passando de mão em mão e dado um sinal (palmas ou interrupção de uma música em cd) a criança que estiver com a caixa deve retirar o papel e ler, no caso dos alfabetizados cumprir a ação ordenada.

PARA ALFABÉTICOS:

  • IMITE UM MACACO
  • IMITE A VOZ DO GATO
  • IMITE UM CACHORRO
  • CANTE UMA MÚSICA QUE FALE DE ANIMAL
  • DIGA O NOME DE UM ANIMAL QUE SE ARRASTA
  • DIGA O NOME DE UM ANIMAL QUE VOA
  • DIGA O NOME DE UM ANIMAL QUE NADA

PARA ALUNOS NÃO ALFABÉTICOS:

BOI                  JACARÉ
FRANGO           ARARA
PORCO              ELEFANTE
SUCURI             GALINHA
URUBU              PEIXE
BALEIA             AVESTRUZ
GIRAFA             CROCODILO



30 de mai de 2011

Painel Branca de Neve e os sete anões - EVA

Este foi o painel que eu fiz para o aniversário da minha netinha, mas pode ser utilizado também para enfeitar a sala de aula.



Estes foram os desenhos que utilizei para confeccionar os sete anões


25 de mai de 2011

Poemas - Pedro Bandeira

Os sete gatinhos
 
 
Bete tem sete gatinhos.
Um foi tomar leite, ficaram seis.
Bete tem seis gatinhos.
Um fugiu do cão, ficaram cinco.
Bete tem cinco gatinhos.
Um foi pegar o rato, ficaram quatro.
Bete tem quatro gatinhos.
Um foi comer mingau, ficaram três.

Bete tem três gatinhos.
Um foi ao cinema, ficaram dois.
Bete tem dois gatinhos.
Um foi tomar banho, ficou só um.

Bete tem um gatinho,
tem um gatinho só.
Bete vai dar carinho
pra ele o nome Filó.

Filó é fofo e dengoso,
gostoso de se agradar.
Nem adianta pedir,
esse ninguém vai levar!
 
 
Pedro Bandeira

Poemas - Pedro Bandeira

Por enquanto eu sou pequeno
 
 
Por enquanto sou pequeno,
mas vou aprender a ler:
já sei ler palavra inteira,
leio pra cima, e pra baixo,
e plantando bananeira!

Por enquanto sou pequeno,
uma coisa vou dizer,
com certeza e alegria:
sei que nunca vou esquecer
da beleza da poesia!
 
 
Pedro Bandeira

Poemas - José Paulo Paes

Cadê?
 
 
Nossa! que escuro!
Cadê a luz?
Dedo apagou.
Cadê o dedo?
Entrou no nariz.
Cadê o nariz?
Dando um espirro.
Cadê o espirro?
Ficou no lenço.
Cadê o lenço?
Foi com a calça.
Cadê a calça?
No guarda- roupa.
Cadê o guarda-roupa?
Fechado à chave.
Cadê a chave?
Homem levou.
Cadê o homem?
Está dormindo
de luz apagada.
Nossa! que escuro!
 
 
José Paulo Paes
 

Poemas - José Paulo Paes

Cachorradas 
- Você sabe por que o cachorro entra na Igreja?
- Ora, essa quem não acerta?
Porque a porta estava aberta!
.
- E você sabe por que ele sai?
- Porque a porta estava aberta.
- Não, errou: porque ele entrou!
.
- E quando é que o cachorro não pode entrar?
- Quando a porta está fechada.
- Que nada! Quando já está lá dentro.
.
- E para terminar: sabe por que o cachorro
ergue a perninha e a encosta no poste
quando está necessitado?
.
- É porque uma vez o poste caiu em cima do coitado! 

José Paulo Paes

.

Poema - Quem sou eu? Pedro Bandeira

Quem sou eu?
Eu às vezes não entendo!
As pessoas em um jeito
De falar de todo mundo
Que não deve ser direito.
.
Aí eu fico pensando
Que isso não está bem.
As pessoas são quem são,
Ou são o que elas têm?
.
Eu queria que comigo
Fosse tudo diferente.
Se alguém pensasse em mim,
Soubesse que eu sou gente.
.
Falasse do que eu penso,
Lembrasse do que eu falo,
Pensasse no que eu faço
Soubesse por que me calo!
.
Porque eu não sou o que visto.
Eu sou do jeito que estou!
Não sou também o que eu tenho.
Eu sou mesmo quem eu sou!
Pedro Bandeira
.

Poemas - Pedro Bandeira

Vai já pra dentro, menino
Vai já pra dentro menino!
Vai já pra dentro estudar!
É sempre essa lengalenga
Quando o que eu quero é brincar...
.
Eu sei que aprendo nos livros,
Eu sei que aprendo no estudo,
Mas o mundo é variado
E eu preciso saber tudo!
.
Há tempo pra conhecer,
Há tempo pra explorar!
Basta os olhos abrir,
E com o ouvido escutar.
.
Aprende-se o tempo todo,
Dentro, fora, pelo avesso,
Começando pelo fim
Terminando no começo!
.
Se eu me fecho lá em casa,
Numa tarde de calor,
Como eu vou ver uma abelha
A catar pólen na flor?
.
Como eu vou saber da chuva
Se eu nunca me molhar?
Como eu vou sentir o sol,
e eu nunca me queimar?
.
Como eu vou saber da terra,
Se eu nunca me sujar?
Como eu vou saber das gentes,
Sem aprender a gostar?
.
Quero ver com os meus olhos,
Quero a vida até o fundo,
Quero ter barros nos pés,
Eu quero aprender o mundo!
Pedro Bandeira 

.

Dia do desafio

Confiram as fotos!!!


http://espacodacriancaa.blogspot.com/

24 de mai de 2011

Atividades para alunos com escrita alfabética

  • Investir em conversas e debates diários.
  • Possibilitar o uso de estratégias de leitura, além da decodificação.
  • Considerar o “erro” como construtivo e parte do processo de aprendizagem.
  • Produção coletiva de diversos tipos de textos.
  • Análise lingüística das palavras.
  • Reescrita de texto (individual / coletiva).
  • Revisão de texto.
  • Atividades de escrita: complete, forca, enigma, stop, cruzadinha, lacunado, caça palavra, listas, textos memorizados.
  

Fonte: professoressolidarios@googlegroups.com