28 de fev de 2019

Marchinha de carnaval - Pirata da perna de pau

Aproveitando o ritmo de carnaval para trabalhar a reflexão da escrita com meus alunos.
Elaborei atividades com tiras, palavras e letras, tendo como objetivo alcançar os diferentes níveis de aprendizagem.




27 de fev de 2019

Números de 100 à 199 - ditado colorido


Elaborei o quadro numérico. Agora é só elaborar as dicas pra criançada pintar e surgir a figura. Se preferir, deixe eles curiosos para saber que figura irá aparecer!
Em outro momento trarei quadro com números maiores e outras figuras.





24 de fev de 2019

Ninguém é igual a ninguém - letra da música


Não queira ser aquilo que o outro é,
não queira ser aquilo que o outro é
Nem que o outro seja,
Ora veja, tudo aquilo que você quer.

Ninguém é igual a ninguém,
ainda bem, ainda bem

A gente mesmo se inverte no espelho,
o que reflete exatamente esse conselho

Não queira ser aquilo que o outro é,
não queira ser aquilo que o outro é
Nem que o outro seja,
Ora veja, tudo aquilo que você quer.

Tem gente triste que anda mal humorada,
só vive resmungando sem dar uma risada
Tem a nervosa que está sempre irritada
Briga por qualquer coisinha deixa a gente chateada
E a corajosa que enfrenta coisas novas,
fazendo a vida ficar menos dolorosa.

Ninguém é igual a ninguém,
ainda bem, ainda bem

Negro, branco, pardo ou amarelo,
alto, baixo, gordo ou magricelo.
Moreno, loiro, careca ou cabeludo,
deficiente, cego, surdo ou mudo
Em tudo tem diferença   
desde nascença,   
no que a gente é, no que a gente faz,
No que a gente pensa, todos tem diferença   
desde nascença
A gente é o que é,
a gente é demais,
a lista é imensa..
Viva a diferença!


                  Cd Olha só quem vem aí...!

                   Escola Stagium


Se quiser com coreografia pra apresentação, veja o vídeo



21 de fev de 2019

Biografia e obras de Heitor dos Prazeres



Nasceu em setembro de 1898 no Rio de Janeiro numa família muito simples, seu pai era músico e sua mãe costureira. Desde pequeno ouvia seu pai tocando clarinete e foi pegando gosto pela música. Seu pai morreu quando ele tinha 7 anos. Ele estudou e aprendeu o oficio de marceneiro mas a música era o que ele mais gostava.

Foi engraxate, jornaleiro, marceneiro e lustrador de móveis mas a música estava sempre presente na sua vida, agora não mais com o pai, mas com o tio Hilário e os amigos dele. Nessas rodas de samba teve contato com Sinhô, João da Baiana, Pixinguinha e Donga, entre outros. Tocava muito com essa turma na Praça Onze no RJ, local onde os artistas se encontravam, tocavam e, passavam o chapéu entre os presentes para que colocassem dinheiro.

Já rapaz, ele se destacava nos carnavais do RJ entre os bambas. Ele se vestia de baiana e saía tocando cavaquinho arrastando muitos foliões pelas ruas da Lapa. Depois começou a frequentar o Estácio, a Mangueira e a Praça Oswaldo Cruz fazendo com que mais pessoas e sambistas o conhecessem. Tornou-se grande amigo de Cartola. Começou a compor músicas que foram gravadas por grandes nomes da música brasileira.

Esse grupo iniciou o carnaval de rua e logo surgiram as primeiras escolas de samba do RJ: Deixa Falar, Vizinha Faladeira, Prazer da Moreninha e Sai como Pode, hoje, Portela. Ele participou também dos primeiros passos da escola de samba “Estação Primeira de Mangueira”. Sua popularidade crescia; Heitor vivia e amava muito. Em 1925 compôs “Deixaste meu lar” e “Estás farto de minha vida”, gravadas por Francisco Alves.

Casou-se com D. Glória e teve três filhas. Ela não gostava muito dessa vida boemia que Heitor levava. Com a morte dela em 1936, da paixão e tristeza de Heitor dos Prazeres surgiu uma nova maneira de se expressar artisticamente, a pintura. Aos poucos começou a fazer quadros a partir de poemas de Carlos Drumond de Andrade e músicas que ouvia de seu novo amigo – Noel Rosa.

Em 1937 começou a se projetar como pintor participando de exposições, sempre incentivado pelos amigos. Começava assim a dupla atividade de sambista e pintor. Heitor  cantava e tocava com Cartola, Dalva de Oliveira, Carmem Costa, Araci de Almeida, Francisco Alves, Herivelto Martins e Adoniram Barbosa e com esse grupo fez shows em várias capitais inclusive fora do Brasil, Buenos Aires e Montevidéu. Levavam dançarinas que eram chamadas de cabrochas.

Casou-se novamente e teve mais dois filhos. A cada novo envolvimento tinha mais um filho. Vivia na boemia, rodeado de mulheres e muita música. Nas horas vagas pintava sempre colocando as cabrochas dançando e rapazes tocando.

Heitor dos Prazeres participou da Primeira Bienal de Arte Moderna que aconteceu em São Paulo em 1951 e foi muito elogiado. Suas obras eram muito coloridas, alegres e representavam cenas de descontração. Teve seu trabalho reconhecido no Brasil e no exterior com obras presentes em várias exposições. Faleceu em 1966.











Fazer o bem faz muito bem!







9 de fev de 2019

A Organização da Rotina de Leitura e Escrita na Alfabetização


Organizar uma rotina semanal de leitura e escrita é fundamental para orientar o planejamento e o cotidiano da sala de aula. Ela se expressa na forma como são organizados o tempo, o espaço, os materiais, as propostas e intervenções do professor e revela suas intenções educativas.

Nessa proposta de alfabetização, a rotina deve contemplar situações didáticas de reflexão sobre o sistema de escrita alfabético e a apropriação da linguagem que se escreve. Deve haver uma diversidade de atividades com diferentes propósitos e, ao mesmo tempo, uma repetição delas para que o desempenho dos alunos seja cada vez melhor. Não é preciso inventar novas atividades a cada dia, mas é importante variar o gênero que vai ser trabalhado (contos, parlendas, listas, poemas, textos instrucionais etc.) e o tipo de ação que o aluno vai fazer com cada texto.

Em função disso, organizamos um quadro orientador em que é apresentado o que uma rotina semanal de leitura e de escrita deve contemplar. Por exemplo: leitura diária em voz alta pelo professor, leitura realizada pelos alunos mesmo quando ainda não lêem convencionalmente, situações de produção escrita pelo professor e/ou pelos próprios alunos, além, é claro, de situações de trabalho com a oralidade.

Neste material você vai encontrar orientações didáticas para as diversas situações didáticas que aparecem no quadro de rotina, como trabalho com nomes próprios, leitura de textos que os alunos conhecem de memória, reescrita de contos etc., bem como o que os alunos aprendem em cada uma dessas situações.


Do blog:http://lubarrach.blogspot.com/

Planejamento: Dicas Práticas para 1/2º ano



Com foco na leitura...
Para que seus alunos possam ampliar o conhecimento linguístico sobre variedade de gêneros textuais, aprender a ler com diferentes propósitos e, assim, construir procedimentos de leitura variados, bem como adquirir um repertório de textos e autores, sugerimos que ao longo do 1º bimestre você considere as dicas a seguir:

LEIA EM VOZ ALTA TODOS OS DIAS ...
Textos literários, histórias contemporâneas, lendas.

LEIA COM ELES, EM VOZ ALTA, TODOS OS DIAS...
Parlendas, quadrinhas, trava-línguas, cantigas, poemas, adivinhas e outros textos memorizáveis. Os textos podem estar num cartaz no mural, em um papel, com cópia para cada aluno, ou mesmo escritos na lousa.

PROPONHA TAMBÉM MOMENTOS DE LEITURA NOS QUAIS...
Possam explorar livros, revistas e jornais livremente, como nos cantos de leitura.
Possam ler, ajudados por você, com diferentes propósitos.
Possam ler, com sua ajuda, informações presentes no ambiente escolar, ampliando o conhecimento que já possuem sobre a função da escrita.

LEIA EM VOZ ALTA PELO MENOS UMA VEZ POR SEMANA...
Um texto informativo: artigos e notícias de jornal, textos informativos sobre temas científicos (sobre animais, plantas, corpo humano, planetas etc.)
E TAMBÉM
(pelo menos duas vezes no mês) Um texto instrucional: regras de jogas, receitas culinárias...

CONVIDE OS ALUNOS A LER TODOS OS DIAS...
Os nomes dos colegas, as atividades do dia, o nome da escola, títulos das histórias conhecidas, títulos das cantigas e outros textos disponíveis na escola.

MAS ATENÇÃO...
Sempre que possível, leve o suporte no qual o texto que você selecionou foi impresso. Se for uma notícia, procure levar todo o jornal para que os alunos tenham contato com esse portador. Se for um verbete de enciclopédia, leve o volume do qual ele foi extraído. Um conto? O livro. A regra de um jogo? O folheto de instruções ou até mesmo a tampa da caixa do jogo.

FINALMENTE COMECE A APROVEITAR...
Os seus momentos de leitura em voz alta para favorecer a integração do trabalho de leitura com as demais áreas do currículo.
Por exemplo, ao selecionar uma notícia de jornal, você pode escolher uma notícia que trate da fauna, da flora e do meio ambiente. Ou então ler um texto informativo que tenha história do lugar, com o modo de vida de diferentes grupos sociais (como os povos indígenas) ou que relate a vida em outros tempos e em outras partes do Brasil e do mundo...

Uma dica! Ao escolher um texto para ser lido para e com seus alunos, você pode aproveitar para tratar de temas relacionados à nossa sociedade atual, ao nosso dia-a-dia. Saúde, alimentação, lixo, preconceito, preservação ambiental, a importância do idoso, respeito aos portadores de necessidades especiais, trânsito, desarmamento... são temas importantes, cuja reflexão contribui para a formação de cidadãos mais críticos. Esses temas expressam o conceito de tema transversal proposto pelos PCN's. Você ainda pode se valer dos acontecimentos mais recentes para, por exemplo, selecionar notícias de jornal e discutir o conteúdo desses textos com os alunos.

E com relação a produção de texto...

ESCREVA PELOS ALUNOS PELO MENOS UMA VEZ POR SEMANA...

Uma lista de palavras cujo tema tenha significado no contexto do trabalho realizado até o momento. Pode ser uma lista com os nomes da turma organizados em ordem alfabética, dos nomes e da data de nascimento para elaboração da "Agenda de aniversários", dos dias da semana, dos títulos das histórias lidas, dos nomes dos personagens preferidos, dos títulos das cantigas trabalhadas...

Cartas ou bilhetes, produzidos de forma conjunta com a turma. O assunto pode variar: bilhete para pesquisar os nomes dos familiares mais próximos, para pesquisar a letra de uma cantiga, para obter informações sobre a data de nascimento dos alunos e outros dados que possam vir a fazer parte da "Agenda de Aniversários".

A letra de uma cantiga, uma quadrinha, uma parlenda - eles podem ditar o texto para que você o escreva na lousa.

PROPONHA QUE OS ALUNOS ESCREVAM TODOS OS DIAS...
O próprio nome em pelo menos um dos trabalhos do dia, consultando ou não o cartaz com os nomes da turma.
A data em pelo menos um dos seus trabalhos do dia, copiando-a da lousa.

ESCREVA NA FRENTE DELES TODOS OS DIAS...

A lista de atividades da rotina do dia, os nomes dos ajudantes do dia, os nomes das duplas/grupos de trabalho, o título do texto que será lido no momento da leitura... Assim eles podem observar um "escritor" mais experiente escrevendo e ampliar as noções que já possuem sobre os procedimentos que envolvem o ato de escrever.



Texto retirado do blog:http://lubarrach.blogspot.com/